terça-feira, 26 de julho de 2011

O REINO DE DEUS ATREVÉS DA IGREJA

Por Renato Oliveira


INTRODUÇÃO

Estamos estudando neste trimestre sobre o a Missão integral da Igreja, o reino de Deus esta entre vós. Um assunto muito importante, pois vem nos conscientizar sobre a necessidade da igreja cumprir integralmente suas funções. Aprendemos que Reino de Deus significa o “Senhor intervindo e predominando no mundo, para manifestar seu poder, sua gloria e suas prerrogativas contra o domínio de satanás e a condição atual deste mundo” (Bíblia Pentecostal). Podemos definir também como “a soma de todas as bênçãos, promessas e alianças que o Todo Poderoso destinou aos que recebem a Cristo Jesus”. Logo entendemos que Reino de Deus é algo além da salvação, é Deus revelando-se com poder na execução de todas as suas obras. Partindo deste principio compreendemos que missão integral é a proclamação de que Jesus Cristo é o Senhor, seguida da convocação ao arrependimento e a fé, para acesso ao Reino de Deus. Posteriormente a pessoa e tudo quanto produz passam a servir aos interesses do Reino de Deus, existindo e funcionando em alinhamento ao caráter perfeito de Deus. No entanto para que haja esta manifestação de poder, domínio e realização das obras descritas na definição do Reino de Deus é necessário ter um agente e para tanto o Senhor Jesus criou uma instituição e comissionou para tal responsabilidade. Logo o Reino de Deus, no presente tempo, deve ser manifestado através da igreja.

1-O REINO DE DEUS E A IGREJA.

1.1-Igreja, representante do Reino.

No antigo testamento o Senhor Deus escolheu e delegou ao povo de Israel a tarefa de fazê-lo ser conhecido diante dos outros povos “E andarei o meio de vós e eu vos serei por Deus, e vós me sereis por povo” (Lv 26.12). Observamos que as manifestações de Deus, do seu poder, autoridade, domínio sempre era manifesta através de Israel. Quando da ocasião da retirado do povo de Israel do Egito o próprio Deus endureceu o coração de faraó para mostrar seu domínio “E eis que endurecei o coração dos egípcios para que entrem nele atrás deles; e eu serei glorificado em Faraó, e em todo o seu exército, e nos seus carros, e nos seus cavaleiros. E os egípcios saberão que eu sou o Senhor , quando for glorificado em Faraó, e nos seus carros, e nos seus cavaleiros.” (Ex 14.17,18). No novo testamento vemos Jesus Cristo após sua ressurreição vemos delegar a igreja a ser o representante de Deus aqui na terra. Não há outra instituição que deve cumprir este papel, senão a igreja. O termo igreja significa ekkesia, que por sua vez significa Assembleia do povo de Deus, ou seja, corpo místico de Cristo, formado pelos que recebem a Cristo como único e suficiente salvador e também ajuntamento dos fiéis com o objetivo de adorar a Deus. No primeiro caso, temos a igreja invisível, pois somente o Senhor Jesus pode distinguir os verdadeiros dos falsos crentes e isto será manifesto no dia do arrebatamento. No segundo caso temos a igreja visível ou institucional que é representada diante da sociedade politicamente organizada. Observe que quando se trata de ser representante de Deus não se refere a quatro paredes, más de pessoas, pois esta representação não é material e nem política, más sim espiritual. Apóstolo Paulo disse “O reino de Deus não é comida e nem bebida, más justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo” (Rm 14.17).

1.2-A igreja é comissionada por Cristo.

Durante seu ministério terreno Jesus pregou o evangelho do Reino, curou as enfermidades e moléstias entre o povo (Mt 4.23) , expulsou demônio (Mt 8.28-32), alimentou os famintos ( Lc 910-17), ressuscitou mortos (Jo 11. 38-45), más também organizou e preparou um grupo de pessoas , homens que eram simples pescadores más que receberam a incumbência de serem pescadores de homens “vinde após mim e eu os farei pescadores de homens” (Mt 4.19). Mesmo sem saber o que o mestre Jesus estava dizendo, deixaram as redes e seguiram-no (Mt 4.20).Observe que desde o princípio a incumbência foi que proclamassem a mensagem do Reino de Deus. Destes simples pescadores nasceu a igreja, sob muito poder e virtude para que a eficácia da pregação do evangelho fosse alcançada “Más recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunha tanto em Jerusalém, como na Judéia e em toda a Samaria e até os confins da terra” (Atos 1.8). O escritor Marcos relata que quando Jesus apareceu aos seus onze discípulos após sua ressurreição disse: “Ide por todo o mundo pregai o evangelho a toda criatura” ”(Mc 16.16) “E estes sinais seguirão ao que crerem em meu nome, expulsarão demônio, falarão em novas línguas; pegarão em serpentes e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes farão dano algum, imporão as mão sobre os enfermos e os curarão”(Mc 16.17-18). Fomos comissionados a gerar uma nova cultura debaixo do senhorio de Cristo Jesus.

1.3-A igreja na sociedade.

Ter convivência com a comunidade sem se envolver-se com as praticas do mundo ou associar-se a ele em suas ações é o maior desafia da igreja dos dias atuais. Jesus disse que somos “luz deste mundo e sal desta terra”. Como luz deste mundo a igreja é como um farol em meio a tanta escuridão. Deus se importa não só com a redenção das almas, más também com a restauração de sua criação. Ele nos chama para sermos agentes não apenas da graça salvadora más também da graça comum. A igreja deve influenciar e envolver e nunca ser influenciada ou ser envolvida pelas coisas deste mundo. A igreja também não pode tomar a postura de ficar neutra, inerte, pois a grande comissão de Jesus foi: “Ide”. É praticamente impossível expandir o Reino de Deus sem interagir com as pessoas, e interagir aqui significa agir com o outro sem perder suas particularidades. A igreja é um agente transformador comissionado pelo Senhor Jesus. É dela a responsabilidade de frear a degradação dos valores na família e na sociedade, de minimizar o sofrimento do povo, principalmente daqueles que mais sofrem, pois foi exatamente isto que fez o nosso Senhor Jesus. Ele era amorosamente amistoso, relacionava com os marginalizados e desprezados, enfermos e oprimidos pelo nosso adversário, seu alvo principal era conduzir o pecador ao Reino de Deus. Enquanto este mundo mergulha no abismo da imoralidade a igreja apresenta a justiça do Reino de Deus como solução; no esfriamento do afeto, compreensão, comunhão e amor a igreja de Cristo exala amor, pois seu Senhor e Rei é amor.

Enquanto a igreja permanecer neste mundo seremos agente da graça de Deus, seremos a fonte de alegria , paz , amor , justiça e esperança.

2. O REINO DE DEUS PRESENTE NA IGREJA

2.1 Na pregação cristocêntrica.

Embora a igreja pode e deve usar de todos os meios legais para expandir o Reino de Deus no mundo atual, tendo sempre a visão total do homem, a mesma não deve deixar de pregar o Cristo ressuscitado. A pregação cristocêntrica deve ser uma das principais características da igreja de Cristo. Pregar a palavra tendo como tema principal Jesus Cristo é ir de encontro à causa de todos os males desta sociedade, que é a falta do conhecimento de Deus e do seu plano de salvação. Ter atividades na igreja é importante, más o que transforma o homem e mantém a igreja edificada e com crescimento quantitativo e principalmente qualitativo é a pregação da palavra tendo como assunto principal Jesus Cristo. Foi por este caminho que a igreja primitiva percorreu e alcançou em pouco tendo muitas almas para o Reino de Deus (Atos 2.36).

Paulo escrevendo a igreja aos Coríntios disse que “o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da gloria de Cristo, que é a imagem de Deus” (2 Co 4.4) e o remédio ou antídoto contra esta cegueira é a revelação de Jesus Cristo através da sua palavra. Por estarmos vivendo em um mundo onde a necessidade material a cada dia é mais ardente, multidões estão indo a igreja para sanar esta necessidade e igreja não pode correr o risco de se tornar uma fonte de benção material. O teor da mensagem não pode ter o objetivo de atenuar a aflição da humanidade causada pela escassez material, más de revelar o grande propósito de Deus que é a salvação do homem através de Jesus Cristo. A igreja deve mostrar a humanidade que se buscarmos o Reino de Deus e sua justiça todas as demais coisas o Senhor Jesus garante que nos concederá, ou seja, quem estiver sob o Senhorio do nosso Senhor Jesus terá o cuidado que somente ele pode conceder (Mt 6.25-34).

2.2Na comunhão.

Um dos pilares da missão da igreja aqui neste mundo é promover a comunhão dos que vivem a partir do evangelho (Koinonia). Jesus quando da sua última reunião com seus discípulos antes da sua crucificação disse “um novo mandamento vos dou: “que vos ameis uns aos outros, como eu vós amei, que também vós uns aos outros vos ameis; nisto saberão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros” (Jo 13.33.34). Observe que Jesus classificou amor como um mandamento e não um sentimento e única característica que o mundo deve ver em nós e nos classificar como verdadeiro seguidor de Cristo. O amor deve ser a marca distintiva dos seguidores de Cristo e este amor é abnegado e sacrificial e visa o bem do próximo e isto implica em ajudar uns aos outros nas provações, evitar ferir os sentimentos e a reputação uns dos outros e principalmente negar-se a si mesmo para promover o mútuo bem estar. Paulo classifica este amor como uma característica do Fruto do Espírito , uma interessante e ardente busca do bem maior de outra pessoa sem nada querer em troca (Gl 5.22). João chega a dizer que é uma característica do novo nascimento “Amados, amemos uns aos outros , porque o amor de de Deus, e qualquer que ama é nascido de Deus e conheça Deus;aquele que não ama não conhece a Deus , porque Deus é amor”(1 Jo 4.7,8).Por ter uma compreensão errada sobre o texto que Jesus disse “que por se multiplicar a iniquidade , o amor de muitos se esfriará” alguns crentes lamentavelmente estão aceitando e até praticando a falta de amor no meio da igreja assemelhando-se ao mundo. Neste texto Jesus estava se referindo ao aumento incrível da imoralidade, desrespeito ao próximo , rebelião contra Deus e que tudo isto faria minguar o verdadeiro amor, ou seja, todas as práticas do mundo faz o homem afastar-se mais de Deus e por conseguintemente do seu amor . Devemos amar nosso próximo porque é uma característica do fruto do Espirito e que através da nossa comunhão com Deus ,que é amor , o Espirito Santo faz derramar em nossos corações este amor ( Rm 5.5). Amor é a maior marca do cristianismo e a igreja deve ser a fonte inesgotável de amor . O mundo deve ver na igreja este amor manifestado pela comunhão entre os membros do corpo de Cristo e por esta característica ser atraído. O mundo não pode exalar amor, somente a igreja, pois temos a essência de Deus em nós. E este amor não é estático é progressivo, Deus dia-a-dia aperfeiçoa este amor em nós “… Deus está em nós, e em nós é perfeita a sua caridade” (1 Jo 4.12b). A igreja (local) que mais manifesta esta característica é a que mais cresce, pois assim procedeu a igreja primitiva “E perseverando unânimes todos os dias no templo e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração; louvando a Deus e caindo na graça de todo o povo e todo o dia acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar” (Atos 2.46,47).

2.3No serviço.

Como já vimos, a igreja na sua missão integral tem a incumbência de expandir o Reino de Deus aqui na terra e isto implica em atender as necessidades espirituais do homem e também em atender as necessidades do próximo. Deus por ser um Deus cuidadoso e zeloso com seus filhos tem o prazer de suprir as necessidades dos mesmos e uns dos meios que este cuidado é manifesto é através da igreja. A igreja primitiva tinha esta preocupação de cuidar uns dos outros, socorrer os necessitados, as viúvas e os desamparados, tanto que instituiu o diaconato com objetivo de escolher pessoas que fossem cheio do Espirito Santo para cuidar das necessidades dos crentes e o resultado foi que “crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé” (Atos 6.7).Logo, estar inserido no Reino de Deus significa estar sob o cuidado de Deus e também da igreja. O Pr. José do prado Veiga, diz que diaconia envolve todo o entendimento social e espiritual da igreja no que concerne ao socorro, ao tratamento, à cura, ao fortalecimento das fraquezas do ser humano, à libertação, a visitação e à pregação da Palavra e muito mais” (Ensinador Cristão Ano 12 – 47). A manifestação do Reino de Deus esta vinculado com o serviço cristão. Tiago trata este assunto com tanta relevância que chega a dizer que a “fé cooperou com as suas obras e que pela fé, a fé foi aperfeiçoada” (Tg 2.22). Tiago estava dizendo que a fé e as obras nunca poderão estar separadas, uma vez que as obras procedem naturalmente da fé. Ele vai mais profundo no assunto quando diz que “o homem é justificado pelas obras” (Tg 2.24).

3 QUEM É O MAIOR NO REINO DE DEUS

3.1O “maior” em humildade.

No inicio do seu ministério terreno Jesus expôs um requisito para aqueles que quisessem segui-lo teria que negar a si mesmo. Negar a nós mesmos não implica somente em sofrer por causa do evangelho de Cristo, más também deixar de lado o egoismo e o orgulho que faz parte da natureza pecaminosa do homem e viver uma vida debaixo do senhorio de Cristo. Por diversas vezes Jesus atacou este mal. Os discípulos de Jesus deixaram manifestaram este desejo de ser maior no Reino de Deus e Jesus ensinou que o maior deve ser em humildade e amor ao próximo. Como vimos o desejo de grandeza esta inserido na natureza do homem e por conta disto é que o homem ao aceitar a Jesus como seu salvador o Espirito Santo começa a gerar nele fruto e uma desta características é a temperança que é o domínio próprio. Infelizmente vemos em nossos dias igrejas locais, departamentos e principalmente entre os obreiros esta ânsia de ser grande ser manifestada , más a grandeza que Deus requer daqueles que desejam viver no Reino Dele é a a humildade. E para ser verdadeiramente humilde e não hipócrita tem que estar sob o domínio de Cristo Jesus “e vivo, não mais eu, más Crito vive em mim” (Gal 2.20). Que o senhorio de Jesus Cristo possa fazer com que nossos anseios sejam mortificados pela graça de Cristo Jesus que em nós é manifesta.

3.2O maior deve ser como uma criança.
Por Renato Oliveira


Uma das características que deve ser manifestado nos seguidores de Cristo é a humildade e para tanto Jesus deixou claro como deve ser o modelo de humildade dos seus súditos. Esta humildade não deve ser algo imposto ou sob uma ordenança de uma liderança eclesiástica, mas deve ser manifestada do interior do homem transformado por Jesus Cristo, ou seja, esta humildade que os filhos de Deus devem manifestar deve ser pura e sincera, e foi por isto que Jesus usou uma Criança como modelo de humildade, pureza e sinceridade.

Ao requerer atos e atitudes como de uma criança, Jesus não estava dizendo que o crente deve ser meninos no entendimento ou na firmeza ou até mesmo no conhecimento da palavra. Jesus estava exigindo que nossos atos e atitudes devem ser sem malicia e Paulo ratificou esta exigência quando disse a igreja de corintios “irmãos não sejais meninos no entendimento, más sede meninos na malicia e adultos no entendimento” ( 1 Co 14.20) . A humildade que procede da temperança do fruto do Espirito faz com que o cristão consiga “ser unânimes e não ambicionar coisas altas, más acomodar nas humildes” (Rm 12.16). Esta acomodação nas coisas humildes como fruto da atuação do Espirito Santo não deixa o cristão na acomodação ou na inércia, más provoca no crente um desejo ardente pela “boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2).

3.3O maior deve ser servos de todos.

Na sua última noite terrena Jesus fez um ato que comoveu todos os discípulos que estava com Ele. O mestre de posse de uma bacia com água começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha que estava cingida ( Jo 13 1-13). E esta atitude não só demostrava o quanto que Ele os amava más também de demonstrar a eles que foram chamados para servirem uns aos outros em humildade. Jesus estava ensinando que a cultura do seu reino é diferente deste mundo. No mundo onde nosso adversário atua ser servo é sinônimo de fraqueza, de inferioridade, más no seu Reino, servir é um sinônimo de grandeza. Ser servo no Reino de Deus constitui em honra. O sábio Salomão disse que “diante da honra vai a humildade” (Pv.15.33). O escritor aos Hebreus diz que todo nosso serviço como servo não é esquecido por Deus (Hb 6.10), e que não precisamos buscar as recompensas neste mundo, pois Deus um dia nós recompensará (Mt 25.23).

CONCLUSÃO

A igreja de Cristo tem a árdua e ao mesmo tempo prazerosa responsabilidade de influenciar este mundo com a cultura e princípios do Reino de Deus. Uma vez que fomos transformados e estamos sob o domínio do Senhorio de Cristo devemos com as nossas atitudes atrair pessoas para o Reino de Deus. O Escritor Charles Colson fez um comentário que vale a pena ser exposto “Como agentes da graça comum de Deus, somos chamados a ajudar a manter e renovar sua criação, a sustentar as instituições formadas da família e da sociedade, buscar a ciência e a sabedoria, curar e ajudar aqueles que sofrem com o resultado da queda” (Charles Colson em E Agora Como Viveremos-CPAP). Que possamos ser impactados por esta vontade de Deus e possamos cumprir fielmente nossa missão como representanto de Deus aqui na terra.


Renato Oliveira é engenheiro, pastor evangélico, membro da Igeja Assembleia de Deus do Belém em São Paulo.





Postar um comentário