quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Josué, Um Exemplo de Perseverança (parte 1)

Passados muitos dias, tendo o Senhor dado repouso a Israel de todos os seus inimigos em redor, e sendo Josué já velho, de idade muito avançada, chamou Josué a todo o Israel, aos seus anciãos, aos seus cabeças, aos seus juízes e aos seus oficiais, e disse-lhes: Eu já sou velho, de idade muito avançada; e vós tendes visto tudo quanto o Senhor vosso Deus fez a todas estas nações por causa e vós, porque é o Senhor vosso Deus que tem pelejado por vós.  Esforçai-vos, pois, para guardar e cumprir tudo quanto está escrito no livro da lei de Moisés, para que dela não vos desvieis nem para a direita nem para a esquerda (Js 23.1-3,6).  


INTRODUÇÃO

Ultimamente tenho meditado no livro bíblico de Josué. Fortes emoções me assaltam na mediada em que me debruço sobre cada página da história de um dos maiores líderes de Israel, responsável por conduzir a nação hebréia à conquista da terra prometida. Emocionou-me ver como Deus o escolheu para suceder a Moisés, dada a sua fidelidade, obediência e caráter ilibado. Tenho vivenciado sua coragem e determinação como se fossem minha própria coragem e determinação, vivido sua fé como se fosse a minha própria fé, e me empolgado com suas estratégias e vitórias espetaculares como se fosse um coadjuvante seu nas batalhas. E até me indignei ao ler sobre os seus erros como se tivesse sido também afetado pelas consequências deles. Mas agora chego ao capítulo 23, que considero a parte mais importante da biografia desse grande homem, inspiradora de emoções ainda maiores. Melhor parte porque mais importante que começar bem é terminar bem. E o grande líder de Israel terminou bem. Tão bem que, agora, avançado em idade, num discurso de despedida, vai dar a receita que usou para superar os desafios de sua missão. É uma prescrição que serve para os crentes de todos os tempos. Convido o leitor para que nos deleitemos com essa tremenda lição extraída das Páginas Sagradas.


A. RECOMENDAÇÕES FINAIS DE UM HOMEM DE DEUS

Afinal, de que homens idosos lembram? Quando homens idosos sentam na sua varanda e refletem sobre sua vida que passou rapidamente, quais são os marcos que se destacam na memória dos anos passados? Quais são os eventos que realçam a neblina do tempo confuso? *
1. O povo é convocado para uma reflexão. Muitos anos haviam-se passado desde que o Senhor deu vitória a Israel e o fez repousar na terra dos seus inimigos. Josué contava aproximadamente 1110 anos de idade. As forças já se esgotaram no transcorrer dos anos. Ele percebe que está próximo da morte. O que poderia fazer pelo povo agora, ele que tanto já fizera por Israel? O grande líder está cônscio de sua responsabilidade com a nova geração de israelitas. Muitos daqueles filhos de Abraão não tinham vivenciado os grandes momentos da história de Israel no pós-Jordão, dos feitos extraordinários do Senhor em prol de seus pais. Porém Josué tinha lembranças que ultrapassava o Jordão e ia até ao Egito. Os tempos de escravidão, a libertação operada por Deus através de Moisés, a travessia do mar vermelho e a trajetória no deserto por quarenta anos permeada por extraordinárias intervenções do Senhor. Acredito que o momento que mais o marcou foi a despedida de Moisés, seu líder. Como podia esquecer o momento em que o grande legislador do Êxodo lhe transfere a responsabilidade de guiar o povo. E Moisés o fez convocando os israelitas para dar-lhes orientações finais, palavras de instruções e advertência (Dt 32). Josué, pois, não podia fazer diferente. Convoca o povo para ministrar-lhe uma mensagem final de advertência e encorajamento. Mas como elaborar um sermão para um momento tão célebre? Entendeu que precisava de um sermão que mirasse as próximas gerações. Foi então que ele esboçou assim o seu sermão:

1.1 O que o Senhor fez. 
“E vós já tendes visto tudo quanto o Senhor, vosso Deus, fez a todas estas nações por causa de vós, porque o Senhor, vosso Deus, é o que peleja por vós” (Js 23).
Josué desafia a nova geração a lembrar a bondade de Deus, sua misericórdia e cuidado para com Israel. Moisés fizera o mesmo antes de sua morte. Note como Josué atribui a causa de todas as vitórias de Israel ao Senhor, nada aos seus dotes e estratégias.

Aprendemos aqui lições preciosas. Primeiro, vemos que um povo que se preza não deve nunca desprezar o seu passado, porque isso equivaleria esquecer seus princípios e tradições, desprezar seus heróis e ser ingrato com seus predecessores. Além de que, um olhar para o passado nos trás lições preciosas de como devemos proceder no presente . Como lembra Alexandre Coelho:  "É importante observar que não se pode desprezar o passado, pois ele dá informações preciosas de como devemos ou não proceder em relação às questões da vida". O mesmo escritor observa que na afirmação "o Senhor pelejou por vós” (Js 23.3)*, residia a evidência da história, alertando que Deus os levara até ali e, portanto, os israelitas não poderiam dominar a terra sem a ajuda de Deus.

1.2 O que o Senhor fará.

“Vede aqui que vos fiz cair em sorte às vossas tribos estas nações que ficam desde o Jordão, com todas as nações que tenho destruído até ao mar grande para o pôr do sol. E o Senhor, vosso Deus, as impelirá de diante de vós; e as expelirá de diante de vós; e vós possuireis a terra, como o Senhor, vosso Deus, vos tem dito” (Js 23.4,5).

1.3 O que o Senhor exige. Aqui, Josué desafia o povo a uma obediência constante.
“Esforçai-vos, pois, muito para guardardes e para fazerdes tudo quanto está escrito na lei de Moisés, para que dela não vos aparteis, nem para a direita nem para a esquerda” (Js 23.6).
Anos atrás, Josué tinha ouvido, do próprio Deus, um desafio do mesmo teor (ver Js 1.7,8). Caso eles servissem com diligência ao Senhor, tendo o cuidado de guardar toda a sua lei, eles continuariam sendo vitoriosos contra as nações que ainda restavam em Canaã: “Um só homem dentre vós perseguirá a mil, pois é o mesmo Senhor, vosso Deus, que pelejará por vós, como já vos tenho dito” (Js 23.10).


CONCLUSÃO

Lembro-me de um querido irmão que, quando interrogado por alguém sobre qual teria sido o grande feito de sua vida, ele respondeu com gratidão: o meu grande feito foi ter aprendido a confiar em Deus. E foi o que Josué, o líder, agora encanecido, logrou com todos os anos de batalha à frente do povo de Israel. Tanto é que o seu discurso final, orientado a incentivar à nova geração de israelitas, atesta o fato de que Ele amou a Deus, guardou os seus mandamentos e venceu. Necessariamente nesta ordem.


NOTAS

* Veber, Stu. Um abraço amigo. São Paulo: Quadrangular, 1995, p. 16.
 **COELHO, Alexandre. Subsídios para Livro de Josué. Ensinador Cristão. Rio de janeiro: CPAD, ano 16,  n. 37, p. 42.
 *** OGILVIE, Lloyd John. O senhor do impossível. São Paulo: Vida, 1984, p. 105.

Veja mais Josué, um exemplo de perseverança II
                Josué e os gibeonitas - ingenuidade e sagacidade
                Antigos habitantes de Canaã
                Josué, um líder engrandecido por Deus


Postar um comentário