sexta-feira, 20 de julho de 2012

Não deixe o medo neutralizar o potencial que há em você

Li em algum lugar a história de um homem que atravessava uma ponte estreita quando escorregou e caiu no rio. Não sabendo nadar, ficou tão apavorado que começou a se bater e gritar por socorro. Enquanto isso, caminhava tranquilamente pela mesma ponte outro homem que conhecia muito bem as águas que por ali passavam e a profundeza do riacho. Viu o desespero daquele que se afogava e gritou para ele: “Fica em pé”. O outro atendeu, levantou-se e, envergonhado, percebeu que as águas não passavam da cintura. Todo desconcertado, ele começou a andar para a margem do rio que abundava em vegetação. A poucos passos da saída, viu um movimento nas águas que descia em sua direção. Era algo semelhante a um tronco de árvore que havia se desprendido de uma velha canoa logo acima, difícil de identificar naquelas águas escuras. O homem se desesperou e disse para si mesmo: “Meu Deus, de que me adiantou escapar dum afogamento para virar comida de crocodilo”. Como tinha um coração debilitado, começou a passar mal, caiu na água e morreu.

A história é surreal, eu sei,  mas ilustra o que acontece na vida de muitas pessoas. O medo as inibe, paralisa e sufoca. Elas usam lentes de graus elevadíssimos para potencializar suas dificuldades, problemas e desafios. Transformam animais domésticos em leões selvagens e riachos em oceanos. São pessoas que têm um sistema imuno-emocional tão enfraquecido pelo fantasma do medo que sucumbem a quaisquer pressões da vida, pois as potencializa, além de que são impossibilitadas de alçar qualquer vôo rumo a grandes conquistas, desperdiçando todas as oportunidades que têm.

O medo incontrolável é o maior obstáculo à conquista daquilo que a vida reservou para nós. O mundo é um lugar perigoso, mas também, e principalmente, é um grande campo de possibilidades. Se agigantarmos os perigos através das lentes do medo, perderemos de vista as oportunidades que só a ousadia consegue enxergar.  A Bíblia mostra a história de doze espias que foram comissionados por Moisés para inspecionar a terra de Canaã, segundo a crença bíblica, prometida por Deus aos israelitas, da qual eles deviam se apossar, sem descartar a possibilidade de batalhas. Os espias voltaram com o relato de que a terra era de fato muito rica e produtiva, porém espalharam o fantasma do pavor no povo ao dizerem que não podiam conquistá-la, porque seus moradores eram gigantes, e que eles, comparando-se com os tais, eram como gafanhotos (Nm 13;14). Tal comportamento suscitou a ira de Deus e de Moisés e adiou a conquista da terra por quarenta anos, sendo que nenhum daqueles paralisados pelo medo conseguiu entrar em Canaã, pois toda aquela geração pereceu no deserto.

A fonte de um medo paralisante pode ser alguma experiência traumática do passado, o que força o indivíduo ao isolamento e à necessidade de controlar tudo o tempo todo para que experiências do mesmo tipo não voltem a acontecer. Lembro de uma amiga que todas as vezes que se via diante de uma oportunidade de sucesso, entrava em estado de choque pelo pavor de que frustrações de outras épocas se repetissem. E então ela mesma boicotava sua alegria e entusiamo. A coisa era tão grave que qualquer possibilidade de alegria que a vida lhe apresentasse tornava-se razão para tristeza.

O medo pode também ter origem em fantasias relacionadas ao futuro, mas quase sempre fantasias inspiradas em acontecimentos traumatizantes do passado.  Entre essas experiências negativas, pode estar o fato de se  ter vivido em um ambiente severo e aterrorizante. Todavia, o mais importante é dizer que você pode curar-se de seus temores pela entrega de sua vida a Cristo, Aquele que, Ele só, tem autoridade absoluta para dizer: “Não tenham medo” (Mt 28.10). Aliás, a expressão "Não temas" pode ser encontrada várias vezes na Bíblia ocasionada pelo encorajamento da parte de Deus a alguém que estava com medo.

E, é claro,  fé em Deus e  consulta a profissionais de saúde física e emocional não são providências que se excluem mutuamente. Você também pode procurar um médico ou um terapeuta se a situação assim o exigir. Concluindo, recorra a que recurso for, mas não deixe o medo paralisar sua vida.

Postar um comentário