domingo, 26 de agosto de 2012

Antigos habitantes de Canaã


Quando os filhos de Israel chegaram à terra de Canaã, a região era habitada por um povo misto, descendente de Cã, um dos três filhos de Noé. Aliás, o nome da região vem de Canaã, um dos quatro filhos de Cã. No capítulo 10 de Gênesis, a Bíblia mostra que os filhos de Cã são: Cuxe, Mizraim, Pute e Canaã (v 6). “E Canaã gerou a sidom, seu primogênito, e a Hete, e ao jebuseu, e ao amorreu, e ao girgaseu, e ao heveu, e ao arqueu, e ao sineu, e ao avardeu, e ao zerameu, e ao hamateu, e depois se espalharam a família dos cananeus” (15-18). Seis desses povos se juntaram numa confederação para guerrear contra Josué. No livro Josué, um líder que faz a diferença (cap 5), o pastor Elienai Cabral faz um levantamento muito claro das principais características desses povos. Reproduzimos a seguir o levantamento feito pelo dileto pastor, com apenas algumas adaptações.

1. amorreus. Os “amorreus” eram um povo montanhês que vivia em terras altas a oeste do mar morto, até Hebrom (Gn 13.18; 14.7,13), vindo a habitar, posteriormente, no planalto, a leste do Jordão, desde Arnon até Jaboque (Nm 21.13,27). Eles tinham grande domínio das montanhas de sua habitação e, por conseguinte, difíceis de serem surpreendidos e vencidos. Era um povo famoso pelas suas guerras (Nm 13. 29). Este povo tinha como característica principal a pilhagem e a destruição que suas tropas faziam com as cidades e reinos conquistados por eles. Quando atacados, reagiam com ferocidade e utilizavam o fogo como elemento destruidor (Nm 21.28).

2. cananeus. A palavra cananeu na língua hebraica refere-se à terra baixa. A Bíblia diz que os cananeus eram especialistas em artefatos de ferro (Jz 4.1-3). Afirmam os lingüistas que os cananeus tinham um idioma o qual falavam e escreviam, muito relacionado à língua hebraica. As provas dessas afirmações são oferecidas por arqueólogos que descobriram um dialeto cananeu escrito em inscrições feitas nas minas de turquesa no Sinai. Eram inscrições adaptadas de hieroglíficos feitos por símbolos fonéticos do dialeto cananeu. A civilização cananéia é identificada pela existência de uma biblioteca de literatura religiosa encontrada num local chamado Ugarite. A religiosidade pagã dos cananeus é uma mistura de mitologia e tinha como deus principal a Asera, mãe de Baal, deus da fertilidade.

3. Heteus. Descendentes de Hete, quarto filho de Cam. Habitavam nas regiões centrais da Palestina. Era um povo sem fixação certa, porque vivia em constante migração. Este povo foi listado como um que devia ser banido da terra de Canaã. Posteriormente vimos os heteus tomarem parte de uma guerra contra Israel (Js 9.1,2).

4. Heveus. São antigos moradores da terra de Canaã (Jz 3.1-3) e eram conhecidos pelas sutilezas criadas nas suas guerras, armando ciladas para os seus inimigos. Viviam nas montanhas do Líbano, desde o monte de Baal-hermom até à entrada de Hamate (Jz 3.3), que ficava na faixa das colinas do Líbano e do Hermom. Os heveus eram um povo astucioso, não necessariamente violento. Sua atividade econômica consistia no comércio de várias especiarias.

5. Girgaseus. Pode-se dizer que eram uma ramificação dos heveus, uma vez que estavam, segundo os historiadores, muito ligados a eles. Os girgaseus viviam em uma região de Canaã que era muito argilosa, ou seja, arenosa. Daí o significado do nome “girgaseu” que é “terra argilosa ou arenosa”.

6. Jebuseus. Os jebuseus habitavam a região mais tarde associada à tribo de Benjamim, especialmente a cidade de Jerusalém que, na época, chamava-se Jebus, (Js 18.28; Jz 19.10). Eram descendentes do terceiro filho de Canaã (Gn 10.16) e viviam nas montanhas ao redor de Jerusalém, entre os heteus e os amorreus (Nm 13.29).

7. Ferezeus. Eles aparecem como um povo agrícola na terra de Canaã, cujo nome pode significar “aldeões” ou “rústicos”, porque habitavam em lugares não murados, ao ar livre. Era um povo pobre que se preocupava apenas com as coisas que podia tirar da terra para sobreviver.

Obs. Gn 10.15 não menciona os ferezeus entre o grupo de cananeus.

Postar um comentário